Radar da Bola

Definidas as 32 seleções que vão disputar a Copa do Mundo 2018

Com o término das Eliminatórias pelo mundo, foram conhecidas finalmente as 32 seleções que irão disputar a Copa do Mundo 2018, na Rússia.

Quase todos campeões do mundo, seleções estreantes, e outras que há tempos não participavam. A grande decepção foi a seleção da Itália, que fica de fora, fato que só havia acontecido em 1930 e 1958.

Vejam a lista e façam suas apostas!

América do Sul

Brasil – Única a disputar todas as Copas, a seleção canarinho vem novamente como uma das favoritas ao título. Com o técnico Tite no comando, o Brasil fez uma campanha irretocável nas Eliminatórias, com 41 pontos em 18 jogos e a liderança isolada. Neymar e Gabriel Jesus aparecem como principais armas verde e amarela em busca do Hexa. Na Copa de 2014, depois dos vexames frente à Alemanha na semi-final e com a Holanda na disputa do terceiro lugar, terminou em quarto.

Neymar comanda a seleção de Tite (GAZETAPRESS)

Uruguai  Uma das principais forças do futebol sul-americano nos últimos anos, a seleção celeste terminou na segunda colocação nas Eliminatórias com 31 pontos e vem para disputar sua terceira Copa do Mundo consecutiva. As apostas do técnico Óscar Tabárez para buscar o tricampeonato são os atacantes Luis Suárez e Edinson Cavani. Em 2014 ficou apenas com a 12º colocação.

“Luizito” Suárez é uma das armas do Uruguai (EFE)

Argentina – A seleção argentina ficou muito próxima de ficar de fora da Copa do Mundo 2018. Com uma campanha irregular, só garantiu sua vaga com uma vitória na última rodada sobre o Equador, em Atahualpa, e terminou em terceiro lugar, com 28 pontos. Lionel Messi, cinco vezes melhor jogador do mundo será mais uma vez a esperança de gols da seleção alviceleste do técnico Jorge Sampaoli. Na Copa passada, chegou à final, mas foi superada pela Alemanha na prorrogação.

Lionel Messi quer o título mundial desta vez (REUTERS)

Colômbia – Com o quarto lugar nas Eliminátorias, terminando com 27 pontos, a Colômbia vai disputar sua segunda Copa do Mundo consecutiva depois de ficar muito tempo de fora. Inclusive na Copa de 2014, teve sua melhor participação, terminando na quinta posição. O meia James Rodríguez e o atacante Falcão Garcia vão comandar a seleção de José Pékerman na Rússia.

O camisa 10 da Colômbia é um dos destaques ( EFE)

Peru – De volta ao mundial após 35 anos, a seleção peruana foi a última a carimbar seu passaporte para a Copa do Mundo 2018. Como terminou na quinta colocação das Eliminatórias, com 26 pontos, precisou jogar a Repescagem contra a Nova Zelândia, representante da Oceania. No jogo de ida, em Welligton, um empate por 0x0. Na volta, em Lima, a seleção de Ricardo Gareca, comandada pelo meio campo Christian Cueva e o atacante Jefferson Farfán superaram a ausência do principal destaque nacional que foi pego no exame anti-doping, Paolo Guerrero, e venceram por 2×0.

Farfán foi um dos heróis da classificação peruana (EFE)

África

Tunísia – Melhor seleção do grupo A das Eliminatórias, com 14 pontos, voltam á disputar uma Copa do Mundo, a última havia sido em 2006. Youssef Msakni é um dos destaques.

Msakni comanda a Tunísia (EFE)

Nigéria – Uma das seleções mais tradicionais da África, os nigerianos ficaram com a primeira colocação no grupo B das Eliminatórias, com 14 pontos. Vem para sua terceira participação em Copas do Mundo seguida. Em 2014 ficaram apenas com a 16º posição. O atacante Kelechi Iheanacho aparece como um dos destaques da Nigéria.

Iheanacho comanda o ataque nigeriano (REUTERS)

Marrocos – Ausente da Copa do Mundo desde 1998, a seleção marroquina foi a melhor do grupo C das eliminatórias, com 12 pontos. Conseguiu sua classificação com uma vitória épica sobre a África do Sul, fora de casa, na última rodada. O zagueiro Mehdi Benatia marcou o gol decisivo.

Benatia ajudou a classificar a seleção de Marrocos para a Copa 2018 (EFE)

Senegal – Vai disputar o segundo Mundial de sua história, a primeira foi em 2002. Foi a melhor seleção do grupo D, com 14 pontos. O meia atacante Sadio Mané aparece como um bom nome de Senegal para a Copa do Mundo 2018.

Sadio Mané, jogado do Liverpool (REUTERS)

Egito – Ausentes desde a Copa de 1990, onde foram a primeira seleção africana a marcar gol em uma Copa do Mundo, a seleção do Egito foi a melhor do grupo E, com 13 pontos. Mohamed Salah foi o herói egipcio ao marcar de pênalti, no último minuto contra a seleção do Congo, na vitória que carimbou o passaporte para Rússia.

Salah comemora a vaga na Copa 2018 (EFE)

Ásia

Irã – Melhor seleção das Eliminatórias asiáticas, vai para sua segunda participação consecutiva em mundiais. Foi a terceira seleção a garantir vaga para a Copa do Mundo 2018. Em 2014 terminou apenas na 28º posição. O atacante Sardar Azmoun é a esperança de gols dos iranianos.

Azmoun é a referência no ataque iraniano (EFE)

Japão – Seleção com a segunda melhor campanha nas Eliminatórias, marca presença em Copas do Mundo desde 1998, quando fez sua estréia. Em 2014 ficou apenas na 29º posição. O zagueiro Yoshida é um dos remanecentes da boa geração japonesa, junto com o meio campo Yamaguchi.

Zagueiro Yoshida é um dos destaques da seleção japonesa (REUTERS)

Arábia Saudita  Com a terceira melhor campanha nas Eliminatórias, os sauditas voltam a disputar a Copa do Mundo, a última foi em 2006. Fahad Mosaed Al-Muwallad marcou o gol da classificação contra o Japão.

O meia Al-Muwallad (E) estará no mundial (EFE)

Coréia do Sul – Os sul-coreanos ficaram com a última vaga direta para a Copa do Mundo 2018. Com presença garantida em mundiais desde 1986. Em 2014 terminaram apenas com 27º colocação. Hwang Hee-chan comanda o ataque da Coréia do Sul.

Hwang Hee-Chan (REUTERS)

Austrália (compete pela ásia)  A seleção australiana teve que passar por duas repescagens para conseguir sua vaga na Copa do Mundo 2018. Enfrentou a Síria e depois a seleção de Honduras. Presente em mundiais desde 2006, ficou só com a 30º colocação em 2014. O veterano Tim Cahill, que estará com 38 anos na Rússia, vai novamente comandar os Socceroos.

Tim Cahill é a estrela do futebol australiano (AFP)

Concacaf (América do Norte, Central e Caribe)

México – Seleção sempre presente em Copas desde 1994, os mexicanos fizeram foram os melhores das Eliminatórias. Em 2014 terminaram com a 10º posição. O goleiro Ochoa e o atacante Peralta comandam a seleção em busca de um bom desempenho na Rússia.

O goleiro Ochoa é um dos grandes nomes da seleção mexicana (REUTERS)

Costa Rica – Com uma boa campanha no Hexagonal final das Eliminatórias, onde terminaram com a segunda colocação, os costarriquenhos voltaram a disputar um mundial em 2014 e de quebra fizeram sua melhor campanha, terminando com a surpreendente sétima colocação. O atacante Bryan Ruiz será o principal destaque da Costa Rica.

Bryan Ruiz (E) camisa 10 da Costa Rica ( GETTYIMAGES)

Panamá – Desbancando os Estados Unidos e a seleção de Honduras, os panamenhos fizeram história, ao se classificarem para a Copa do Mundo pela primeira vez. Terminaram na terceira posição do Hexagonal das Eliminatórias. O atacante Gabriel Torres é uma das principais armas da seleção do Panamá.

Atacante Gabriel Torres (AFP)

Europa

Rússia – A seleção do País-Sede vai disputar sua quarta Copa do Mundo após o fim da União Soviética (URSS). Em 2014 terminou na 24º posição. O atacante Fyodor Smolov comanda o ataque dos russos.

Smolov é o goleador russo (REUTERS)

França – Líder do grupo A com 23 pontos, os “Les Bleus” vem para sua sexta participação seguida em Copas do Mundo. Em 2014 ficou com a 7º posição. O destaque da seleção fica por conta da jóia francesa Kylian Mbappé que faz dupla com Neymar no PSG.

Mbappé é uma das esperanças da seleção francesa (AFP)

Portugal – Desde 2002 sempre marcando presença na Copa do Mundo, a seleção de Portugal foi a melhor do grupo B das Eliminatórias. Na Copa 2014 ficou apenas na 18º posição. Cristiano Ronaldo, eleito melhor jogador do mundo pela 5º vez no último mês de outubro, é a grande arma dos portugueses para ter um melhor desempenho na Rússia.

Cristiano Ronaldo vai comandar Portugal na Copa (AFP)

Alemanha – Atual campeã mundial e melhor seleção do mundo, os alemães só ficaram de fora de uma edição da Copa do Mundo, em 1930 e 1950. Foram a seleção com o melhor desempenho nas Eliminatórias européias. Uma das favoritas ao título mundial na Rússia. São muitos os destaques da seleção: o goleiro Ter Stegen, os zagueiros Boateng e Hummels, os meio campistas Toni Kroos, Khedira, Ozil, Draxler, Gotze e os atacantes Werner e Thomas Muller.

Toni Kroos é um dos vários destaques da Alemanha (AFP)

Sérvia – Vai participar pela segunda vez de uma Copa do Mundo como país independente, a primeira vez foi em 2010. Mas quando ainda era Sérvia e Montenegro, participou da Copa de 2006. Foi a melhor seleção do grupo D das Eliminatórias. O meia atacante Adem Ljajić é uma das armas da seleção sérvia para ir bem na Copa do Mundo 2018.

Ljajic vai comandar a Sérvia no mundial (AFP)

Polônia – Os poloneses voltam ao mundial após 11 anos e apostam no atacante Robert Lewandowski para obterem sucesso na Rússia. Se classificaram como a melhor seleção do grupo E das Eliminatórias.

Lewandowski é o goleador da seleção da Polônia (REUTERS)

Inglaterra – Campeã do mundo em 1966, está presente em Copas do Mundo desde 1998 de forma seguida. Se classificou como líder do grupo F das Eliminatórias. Em 2014 foi eliminada logo na 1º fase, terminando apenas na 26º posição. Harry Kane marcou o gol decisivo que carimbou o passaporte dos ingleses para mais um mundial.

Harry Kane vai comandar o ataque da seleção inglesa na Copa (EFE)

Espanha – Presente de forma contínua em mundiais desde 1978, a campeã de 2010 foi a melhor seleção do grupo G das Eliminatórias. Em 2014 foi uma das decepções, sendo eliminada na 1º fase e terminando na 23º posição. Os destaques do time de Julen Lopetegui são o goleiro De Gea, os zagueiros Piqué e Sérgio Ramos, o lateral Jordi Alba, os meio campistas Busquets, Iniesta, Isco e Thiago Alcântara, com os atacantes Asensio, David Silva e Morata.

O zagueiro Sergio Ramos é o capitão da seleção espanhola (REUTERS)

Bélgica – Com uma das melhores campanhas das Eliminatórias, terminando como a melhor seleção do grupo G, a seleção belga voltou a disputar um mundial em 2014 e fez sua melhor campanha na história, terminando na sexta colocação. Os destaques ficam por conta do goleiro Courtois, os meio campistas Witsel, De Bruyne, Fellaini, e Hazard, mais os atacantes Mirallas e Lukaku.

Hazard é um dos responsáveis pela criação da seleção belga (EFE)

Islândia – Estreante, será o menor país a disputar uma Copa do Mundo até hoje. Ficou bem próximo de participar da Copa de 2014, mas parou na repescagem européia. A seleção islandesa, um dos destaques da última Eurocopa, conseguiu a vaga direta para a Copa do Mundo 2018 com a primeira colocação no grupo I das Eliminatórias, deixando Croácia, Ucrânia e Turquia para trás. O principal nome da seleção é o meio campo Gylfi Sigurðsson.

Sigurdsson comandará a Islândia na Copa 2018 ( REUTERS)

Suiça – Vai participar da 4º Copa do Mundo de maneira consecutiva, em 2014 ficou na 11º posição. Terminou na segunda colocação do grupo B e enfrentou a Irlanda do Norte em um dos jogos da repescagem européia. Com uma vitória por 1×0 fora de casa e um empate sem gols em seus domínios, obteve a vaga para sua 11º Copa do Mundo. Xherdan Shaqiri é o destaque da Suiça.

Shaqiri quer fazer história com a Suiça no mundial ( EFE)

Croácia – Conseguiu a classificação para a Copa do Mundo 2018 somente na repescagem, ao eliminar a Grécia após uma vitória por 4×1 no primeiro jogo e um empate sem gols no jogo decisivo. A partir de 1998, quando estreou em mundiais, só ficou de fora em 2010. Há quatro anos, no Brasil, terminou com a 19º posição. Os meio campistas Modric e Rakitic juntos com o atacante Mandzukic são os destaques da seleção croata.

Modric comanda a seleção croata (REUTERS)

Dinamarca – Voltam a disputar uma Copa do Mundo após ficarem ausentes em 2014. Vão para a quinta participação em mundiais. A seleção dinamarquesa foi o destaque da repescagem européia ao eliminar a seleção da Irlanda, com uma sonora goleada por 5×1, em Dublin, após um empate sem gols no primeiro jogo. O meio campo Christian Eriksen marcou três na épica vitória contra os irlandeses.

Christian Eriksen celebra um dos gols que classificou a Dinamarca para a Copa 2018 (REUTERS)

Suécia – A última participação da seleção sueca havia sido em 2006. O melhor desempenho em Copas do Mundo aconteceu somente no ano de 1958, com o vice campeonato. Na repescagem européia eliminaram a poderosa Itália, após uma vitória por 1×0 em casa e um empate suado sem gols na partida de volta, em Milão. O grande nome da seleção é Zlatan Ibrahimovic, que não joga por seu país desde o final da Eurocopa do ano passado, pois se aposentou do selecionado. Mas após a classificação heróica, seu nome voltou com força total para defender a Suécia na Copa do Mundo 2018.

A volta de Ibrahimovic foi cogitada após a classificação da seleção para a Copa 2018 (EFE)

O sorteio que vai definir os grupos da Copa do Mundo 2018 será realizado no próximo dia 1º de dezembro, no Kremilin, em Moscou.

Segue abaixo como ficou a divisão das seleções para esse sorteio:

Vale lembrar que a Copa do Mundo 2018 será disputada entre os dias 14 de junho e 15 de julho de 2018.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *