Radar da Bola

Cristiano Ronaldo na Juventus: o que mudaria no jogo bianconero

A contratação de Cristiano Ronaldo, se ocorrer, afetará diretamente a forma de organizar os 11 iniciais da Juventus. Como Allegri pode lidar com a chegada de uma estrela tão grande?

Nos últimos dias, muito se falou sobre a possibilidade da contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus. De acordo com o jornal português “Record”, o Real Madrid está disposto a aceitar uma proposta de 100 € milhões (R$ 456 milhões). Além disso, o jornal ainda diz que o jogador já acertou um contrato até 2022 com o salário de € 30 milhões (R$ 137 milhões) anuais com a Juve.

Sua qualidade é inegável. Artilheiro das últimas três Champions League e tri-campeão da competição consecutivamente como líder técnico da equipe, Ronaldo não tem nada para provar – na Espanha. Na Itália, encontrará um futebol praticado de uma forma diferente, e também jogará num clube que não tem uma discrepância tão grande em relação aos seus concorrentes como era o Real com a maioria dos times espanhóis.

O mais importante é saber como o português será introduzido no time. Há tempos, Ronaldo já não atua mais de ponta esquerda. Obviamente, ainda pode exercer a função pelo seu físico ainda bom, mas tanto pela seleção de Portugal quanto pelo time merengue, Cristiano atuou principalmente de centroavante e, provavelmente, assim será usado por Allegri.


Esse foi o esquema mais utilizado por Allegri. Se não mudar, Higuaín perderia espaço.

A questão que fica é: e Higuaín? Gonzalo aceitaria tranquilamente ser banco na Juventus? Ainda mais com os rumores sobre sua ida para o Chelsea desmentidos, é difícil imaginar um cenário em que um dos centroavantes mais prolíferos do mundo aceite não jogar.

Uma das soluções talvez seja o rodízio. Ronaldo já conta com 33 anos nas costas e ainda não apresentou uma queda de rendimento. Poupá-lo de alguns jogos poderá, certamente, fazê-lo ter maior produtividade e assim contribuir ainda mais. Mas também fica outra dúvida: ambos estariam dispostos a ficar no banco? A respeito de Cristiano, é inviável imaginar um jogador de sua qualidade não sendo usado em todas as partidas que forem possíveis. Max terá um difícil tarefa caso os dois fiquem em Turim.

Vale lembrar, não há certeza sobre a transferência. Se acontecer, certamente será uma das maiores da história do futebol italiano. E não estou falando de dinheiro: é ‘simplesmente’ a Juventus contratando aquele que é considerado por muitos, o melhor jogador do mundo da atualidade. A Champions League deixa de ser um objetivo e passa a ser uma obrigação.

É um salto de qualidade para o elenco, é uma dor de cabeça para Allegri de satisfazer um time que, antes não tinha intocáveis, e com Cristiano passará a ter, e querendo ou não torcedor bianconero, um aumento considerável de adeptos da Juventus no Brasil e no mundo inteiro.

2 Comments

  1. Pingback: Cristiano Ronaldo e Juventus: como Allegri colocará a máquina em campo - Radar da Bola

  2. Pingback: Cristiano Ronaldo e Juventus: diferentes formas de colocar o português em campo - Radar da Bola

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *