Radar da Bola

Quem leva? Juventus e Real Madrid se encontram novamente e o retrospecto é equilibrado

Nos últimos tempos, de 2013 para cá, Juventus e Real Madrid se enfrentaram 5 vezes. Foram duas vitórias merengues, dois empates e uma vitória da equipe de Turim. A Juve, mais uma vez, será posta prova contra o clube mais vezes campeão europeu.

Nesta sexta-feira (16), os confrontos das quartas-de-final da UEFA Champions League foram sorteados. Os italianos e espanhóis foram colocados frente a frente: Roma enfrentará o Barcelona e Juventus enfrentará o Real Madrid. Por mais tradição e camisa que todos tenham, é mais do que sensato considerar os dois últimos campeões da Champions como favoritos em ambos os confrontos. E se o Barcelona tem o costume de passar facilmente sobre a Roma (último confronto entre as duas equipes foi uma sonora goleada por 6-1, no Camp Nou, para os anfitriões), o Real não tem tido tanta facilidade assim.

No reencontro após 4 anos, Cristiano Ronaldo começa a se firmar carrasco

Foram três gols em dois jogos naquele ano. Juventus sofreu na mão do homem

Em 2013, Juventus e Real caíram no mesmo grupo, com Copenhagen e Galatasaray completando. Esse foi o último ano de Antonio Conte como treinador da Juve: saiu como campeão italiano mas foi eliminado na Champions, ainda nessa fase, com Galatasaray passando em segundo lugar.

No primeiro jogo entre as duas equipes desde 2009, Real venceu por 2-1. O placar contou com dois gols de Cristiano Ronaldo (você vai ler bastante esse nome aqui) e com um de Fernando Llorente para os visitantes. O jogo ficou marcado por uma arbitragem polêmica, mesmo o resultado sendo merecido.

Na volta, a Juventus resolveu criar mais dificuldades. Arturo Vidal foi o responsável por abrir o placar, de pênalti. Cristiano Ronaldo voltou a marcar e Bale anotou a virada. Porém, lá estava Llorente para dar números finais a partida e fechar a partida em 2-2. Isso foi só uma prévia do que a Juve podia fazer, e em 2015, não teve madridista que segurasse a lei do ex.

 

Morata e a lei do ex: eliminando os favoritos

Morata foi peça fulcral na campanha bianconera naquela campanha / Fonte: Reuters

Álvaro Borja Morata Martín. O camisa 9 foi de uma importância sem igual para a campanha da Juve daquele ano. Nunca teve números muito expressivos: no Calcio foram apenas 8 gols naquela temporada, além de ter chegado coberto de desconfiança pelo preço de 20 milhões de euros. O que o mundo não contava era com o poder de decisão deste jovem.

Só contra o Real, Álvaro manteve a média de seu compatriota Llorente e anotou gol no Juventus Stadium e no Santiago Bernabéu. Isso porque ainda iria deixar o seu na final em Berlim.

Na primeira partida, no Juventus Stadium, os comandados de Massimiliano Allegri quase não deram chance ao erro. Fora o gol sofrido, a Juventus conseguiu ir além do que se esperava e venceu um Real muito mais favorito na época.

Além de Morata, Tévez, o principal jogador do futebol italiano durante duas temporadas, deixou o dele. Cristiano Ronaldo (olha ele de novo) diminuiu.

Na volta, o Real saiu na frente com um pênalti, no mínimo, polêmico. Não preciso falar que o gol foi dele de novo. Mas a estrela de Morata voltou a brilhar e deu um lugar a ‘Vecchia Signora’ na final da Champions – a última fase do torneio em que ambas as equipes iriam se reencontrar novamente, dois anos depois.

Uma nova Juventus parando no velho Real Madrid

Goleador / Fonte: Getty Images

Ano passado, os bianconeri tiveram o desprazer de amargar mais um vice campeonato europeu. Os merengues, por sua vez, sentiram o gosto de ganhar pela segunda vez seguida. O confronto em que se esperava equilíbrio e muita tensão foi resolvido num segundo tempo totalmente controlado pelo Real Madrid.

Uma equipe como a da Juventus, que elimina o Barcelona sem sofrer um único gol, chega a final tomando apenas 2 em toda competição, certamente não teve o melhor de seus desempenhos no jogo decisivo. Mas sabe quem teve? Sim, Cristiano Ronaldo, de novo.

O português, cansado de ser decisivo, costuma crescer nas partidas de maior importância. Em 2019 não foi diferente. Contra o Paris Saint-Germain, o gajo marcou em ambas as partidas, sendo que na primeira guardou dois.

E na final de 2017, contra a Juventus, deixou o dele (duas vezes dessa vez) numa sonora goleada por 4-1.

Observação: Juventus nunca foi eliminada pelo Real Madrid em mata-matas da UEFA Champions League. Em quatro oportunidades, a Juventus passou nas quatro: Real Madrid 1×2 Juventus – Semi-finais 1995/1996; Real Madrid 3-4 Juventus – Semi-finais 2002/2003; Real Madrid 1-2 Juventus – Oitavas-de-finais 2004/2005 e, já citado no texto, Juventus 3-1 Real MadridSemi-finais 2014/2015.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *