Radar da Bola

Não é possível

Não é possível. E nem era pra ser.

 

Não é possível que a Roma vire contra o Barcelona. Afinal de contas, alguns dias antes perdeu na própria casa por 2-0 pra Fiorentina. Não tem ninguém no seu elenco que alcance a excelência de um Messi, de um Busquets, de um Iniesta. Perdeu de 4-1, três gols de diferença. Somente dois times conseguiram virar uma diferença desse porte em uma quartas-de-finais de Champions League. E um deles era justamente o Barcelona – eles certamente aprenderam os erros com o adversário.

Roma não se agiganta. Ela e suas ‘romadas’ seguiriam, tudo como deve ser.

Dzeko, De Rossi, Manolas: simplesmente fizeram um sonho

Hoje, o bianconero não cansou de repetir “não é possível”.

 

Não é possível que vai acontecer de novo. O que a Roma fez é uma vez a cada reencarnação. Esse gol do Mandzukic é pra dar um ânimo, mas não vai dar. Eu não posso acreditar. A frustração vai ser gigante. Pés no chão.

Não é possível: mais um gol do Mandzukic.

Mesmo sendo alguém insignificante perto do que era esse jogo, parecia que ele queria dar a corda para eu me enforcar. “Vai lá, César. Não quer acreditar no seu próprio time?”. Não. Não vou me frustrar quando aquele fizer o gol e você jogar toda minha esperança na cara. Aprendi com o Bayern, aprendi com o próprio Real ano passado, que colocar fé é perigoso. Precisa de ter cuidado. Aquele que Navas não teve com o cruzamento na área. Aquele que eu não tive com o gol do Matuidi. Não é possível que vai acontecer.

Agora vai. Podem falar que o futebol italiano tá acabado, que ninguém presta naquela liga, e todos os clichês de quem não entende nada de futebol. Quero mais é um quarto gol, no final. Higuaín, o mais criticado do time. Calar o mundo é o que importa agora.

Tão perto

Lembra da corda? Quando não dava mais pra voltar, já estava pendurado. A frustração não deixou nem a raiva vir a tona. Foi só um “eu te avisei” silencioso na consciência.
Eu te avisei que a Juventus ia fazer tudo isso: não ia ceder, não ia decepcionar e, certamente, não ia sair derrotada
e não saiu.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *