Radar da Bola

A magia de Paulo Dybala está de volta – e não podia haver momento melhor.

O time misto montado por Allegri não teve dificuldades e praticamente dominou o jogo por completo, com destaque para Paulo Dybala. ‘La Joya’ está crescendo no melhor momento possível da temporada. A Udinese, por sua vez, chegou ao quinto jogo sem vitória, mas segue longe da zona de rebaixamento e também das competições europeias.

A Juventus continua sendo o pesadelo da Serie A. Não vacila. Já são 14 partidas sem perder e ainda tem um jogo a menos, adiado, contra a Atalanta. Hoje demonstrou, não só sua força habitual, mas também do seu elenco: de ‘reservas’ jogaram Szczesny, Asamoah, Rugani, De Sciglio, Sturaro e Marchisio. Nenhum deles ficou devendo. E a cereja do bolo fica por conta de Dybala. Se não bastasse o gol da classificação contra o Tottenham, o tempo de reserva mais a pausa forçada pela lesão parecem ter revivido o brilhantismo do argentino.

Mesmo sendo considerado um dos melhores jogadores da Juventus, e para alguns, do mundo, Dybala não teve dos melhores começos em 2018. Passou janeiro e fevereiro em branco e ainda ficou no banco em alguns jogos por opção. Tudo isso até o jogo contra a Lazio, em que marcou o gol aos 93′ para garantir a vitória por 1-0. Talvez essa tenha sido a guinada para o resto da temporada. A confiança certamente foi retomada e novamente ele foi decisivo: mesmo não tendo um bom desempenho contra o Tottenham em Wembley, o camisa 10 decidiu novamente e garantiu a classificação bianconera. E hoje, além de ter sido determinante para o resultado, jogou muito bem, dando a entender que finalmente está de volta.

Voltando à melhor forma/ fonte: twitter Juventus

Os melhores lances do primeiro tempo ficaram justamente por sua conta. O primeiro gol veio numa precisa cobrança de falta, sem chances para o veterano Blizzarri. Não muito tempo depois, Paulo sofreu pênalti por Angella. Quem bateu, e perdeu, foi o compatriota Higuaín, numa bela defesa do arqueiro da Udi. Vale destacar que penalidades estão longe de serem sinônimos de gols em Turim: das 5 cobranças no Calcio, só duas foram convertidas (Dybala 1/3 e Higuaín 1/2).

Na segunda etapa, o domínio caseiro continuou e o segundo gol saiu logo no começo. Higuaín, de costas para defesa, fez o pivô para a infiltração de Dybala, que só teve o trabalho de colocar no canto do gol e fazer o seu segundo tento na partida. Depois disso, a Juve não forçou muito e manteve o 2-0 até o apito final.

Com a vitória, Napoli terá uma missão bem complicada para conseguir destronar a Juventus. Primeiro tem que ganhar da Internazionale, em Milão. E, devido a derrota para Roma em casa, precisa torcer para que a Juventus não vença a Atalanta no jogo atrasado.


Serie A TIM – 28ª rodada
Juventus 2 x 0 Udinese

Estádio: Allianz Stadium

Juventus (4-3-3): Szczesny; De Sciglio, Rugani, Chiellini, Asamoah; Khedira (Matuidi), Marchisio, Sturaro; Douglas Costa (Bentancur), Higuaín (Mandzukic) e Dybala
Treinador: Massimiliano Allegri

Gols.: Dybala (20′ 49′)

Udinese (3-5-2): Blizzarri; Nuytinck, Angella, Samir; Widmer, Fofana, Behrami (De Paul), Barak (Balic), Adnan; Maxi López (Perica) e Jankto
Treinador: Massimo Oddo

Gols.:

3 Comments

  1. Pingback: Não convocar Paulo Dybala faz sentido? - Radar da Bola

  2. Pingback: Juventus ameaçou mas não falhou no seu teste pré-Champions - Radar da Bola

  3. Pingback: Milan ameaça mas Juventus passa no teste pré-Champions - Radar da Bola

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *