Radar da Bola

Não deu! Coritiba perde para a Chape e encara a série B em 2018

Com uma virada nos acréscimos, a Chape impediu a permanência dos paranaenses na primeira divisão do Brasileirão

O ano de 2017 já pode ser riscado da vida dos torcedores alviverdes e de toda a equipe do Coritiba. Após trancos e barrancos, acertos e erros, a temporada acabou com um amargo rebaixamento para a segunda divisão. O Coritiba precisava apenas de si mesmo para a permanência na Série A, mas não contava com a virada da Chapecoense, que ganhou por 2 a 1.

Somando todos os resultados da competição, a equipe paranaense termina na 17ª colocação, com 43 pontos e um gol a menos que o Vitória no saldo (a equipe baiana perdeu para o Flamengo na última rodada). O alvinegro marcou um gol nos minutos finais, o que salvaria o Coxa, mas a Chapecoense foi e marcou o gol do rebaixamento do Coxa.

O Coxa até tentou, mas a virada da Chape veio e o rebaixamento também

Tudo igual na primeira etapa

Os primeiros minutos de jogo trouxeram uma Chapecoense mais organizada e um Coritiba marcando forte no meio de campo. O técnico Marcelo Oliveira resolveu apostar todas as suas últimas fichas para impedir o rebaixamento do Coritiba. Dentre tantas alterações na equipe que foi a campo, o retorno de Kleber ao ataque já apresentou resultados diretamente no placar. Aos 14’, Kleber recebeu da entrada da área e chutou com muita categoria no ângulo esquerdo, sem chances para Jandrei defender.

O gol trouxe tranquilidade para a equipe coxa-branca, mas a Chape cresceu rapidamente e estava disposta a correr atrás do prejuízo. Aos 27’, Reinaldo chutou com força da esquerda e mandou próximo do travessão do goleiro Wilson. Depois de tantas tentativas, o gol veio aos 38’. Elicarlos tentou cruzamento direto para a área, mas acabou mandando fechado e encobrindo o goleiro Wilson, deixando o placar igual.

Acréscimos decisivos para o rebaixamento do Coritiba

Marcelo Oliveira resolveu melhorar o sistema ofensivo de sua equipe no segundo tempo, colocou Iago Dias na equipe. A primeira chance foi aos 5’, quando Kleber recebeu o cruzamento dentro da área, tentou o chute para o gol, mas foi travado por Douglas Grolli

Ao contrário do que se viu em todo o primeiro tempo de jogo, o empate não servia mais (já que tanto Sport quanto Vitória haviam marcado) e o nervosismo do time coxa-branca aumentou. Já nos lados da Chapecoense, a pressão em virar a partida mirava a classificação para a Libertadores, após um ano de redenção e reconstrução da equipe. Porém o goleiro Wilson não facilitou a festa dos donos da casa.

Aos 25’, Reinaldo cobrou o escanteio fechado e o arqueiro alviverde deu um tapa e evitou o gol da Chape. No minuto seguinte, após cobrança de escanteio, Fabrício Bruno desviou e Wilson fez outra sensacional defesa. Já aos 28’, Canteros cobrou o escanteio fechado e Wilson salvou mais uma vez sua equipe. O volante Jonas também parou a equipe catarinense, quando tirou praticamente de cima da linha a cabeçada que iria igualar o placar, salvando o Coritiba.

Buscando reverter a situação preocupante, Anderson e Keirrison foram para o jogo como as últimas esperanças do Coritiba em campo. Mas o dia era do Índio Condá, e a festa já tinha dono. Aos 49’ do segundo tempo, já nos acréscimos, Túlio de Melo colocou o Verdão Catarina na Libertadores. Após passe de Canteros e assistência de Apodi, o camisa 10 mandou a bola para o fundo do gol. A Chape voltou à maior competição da América. O Coxa foi para Série B.

O Coritiba foi do paraíso ao inferno em questão de segundos. Ao tomar o gol no final da partida, o Flamengo marcava sobre o Vitória e vencia a partida. Se permanecesse no empate, o Alviverde estaria salvo, mas foi rebaixado pela diferença de apenas UM GOL no saldo.

Se de um lado o clima era de tristeza pelo rebaixamento, para os donos da casa a tarde de domingo foi emocionante e especial. Antes do começo da partida, jogadores, comissão, diretoria e funcionários entraram em campo acompanhados de Follmann e Neto, com camisas com os nomes das vítimas do acidente de 29/11. Ao fim do jogo, os sobreviventes do acidente comandaram a festa, guiando o carro-maca em volta olímpica. A Chape se reconstruiu, e em altíssimo nível.

Os sobreviventes do acidente de 29/11/2016 puxaram a festa da Chape

Que venha a temporada de 2018, com novos desafios tanto pelos lados de Chapecó como de Curitiba. Que a Chape continue mostrando a força do Índio Condá, e que o Coxa erga sua cabeça, aprenda com seus erros e consiga retornar à elite do futebol em 2019.

FICHA TÉCNICA

Chapecó 2 x 1 Coritiba

CHAPECOENSE (4-5-1): Wilson; Apodi, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; João Pedro (Nadson), Moisés Ribeiro, Elicarlos e Canteros; Arthur Caíke e Wellington Paulista (Túlio de Melo)

Técnico: Gilson Kleina.

CORITIBA (4-4-2): Wilson; Léo (Keirrison), Thalisson Kelven, Cléber Reis e Thiago Carleto; Jonas, Vitor Carvalho (Anderson), Tiago Real e Daniel (Iago Dias); Rildo e Kleber

Técnico: Marcelo Oliveira.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *