Radar da Bola

A Despedida

Zé Roberto não jogou no meu time, mas  foi um ídolo dentro e fora de campo. Sua estréia profissional foi em 94 pela Portuguesa, em 96 é um dos  principais nomes da Lusa vice-campeã brasileira.

Após um oitavo lugar na fase classificatória e vitórias sobre o Cruzeiro e Atlético Mineiro.  No grande jogo decisivo contra o Grêmio em 11 de dezembro, venceu o jogo de ida por 2-0, mas na volta, quatro dias mais tarde, foi derrotado pelo mesmo placar. O critério que desempatou foi a posição na fase classificatória, em que o clube gaúcho ficou duas posições a frente. Ao fim do campeonato, Zé Roberto foi escolhido o Melhor Lateral Esquerdo do torneio pela Bola de Prata. Tal prêmio fez com que o jovem de 22 anos ganhasse destaque internacional, levando interesse de grandes clubes europeus.

Na Europa jogou no Real Madri sendo a maior transação do futebol brasileiro até então, porém jogou abaixo do esperado sendo pouco aproveitado, disputou apenas 21 partidas. Seu fraco rendimento fez com que fosse emprestado ao Flamengo  no meio da temporada, fez 18 gols seu bom futebol, o levou ao Bayern Leverkusen . Depois teve ótima passagem pelo Bayern de Munique,onde conquistou boa parte de seus títulos.

Após uma temporada no Santos se transfere para o Al- Gharafa do Quatar, chega ao Grêmio em 2012 logo conquista a torcida.

Em 2014, mesmo tendo conquistado novamente a Bola de Prata, não tem seu contrato renovado.

Em 22 de dezembro de 2014 é contratado pelo Palmeiras onde vence a Copa do Brasil de 2015 e o campeonato que bateu na trave vinte anos atrás o brasileiro. Pela seleção conquistou a Copa América de 97 e 99 e a Copa das Confederações de 97 e 2005.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *