Radar da Bola

Rússia 2018: chances de estréias e possíveis retornos

As últimas rodadas das eliminatórias pelo mundo prometem bastantes emoções. Seleções que nunca estiveram tão perto de participar do mundial alimentam esperanças e outras que há tempos não conseguem a classificação lutam para voltar a ter destaque no mundo da bola.

Vamos primeiro aos possíveis “debutantes”:

África

Zâmbia – Atualmente está com sete pontos, três atrás da Nigéria, que tem dez e lidera o grupo B. Na próxima rodada, dia 1° de outubro, as seleções se enfrentam em uma possível “final”e uma vitória deixaria os zambianos muito perto da vaga, já que na última rodada, dia 5 de novembro, enfrentam em casa a seleção de Camarões, que já estão eliminados.

Zâmbia segue sonhando. Fonte – AFP

 

Gabão – Com cinco pontos, e na terceira posição do grupo C, ainda joga fora contra Marrocos, que está em segundo com seis pontos, e na rodada derradeira enfrenta a seleção de Mali, em casa.

Aubameyang, de Gabão, que segue na briga por uma vaga. Fonte – AFP

Mali – Mesmo em último no grupo, com dois pontos, os malineses ainda tem chances. Precisam de bons resultados contra Costa do Marfim em casa e Gabão fora. Uma combinação de resultados também ajudaria.

Seleção de Mali precisa de uma combinação de resultados. Fonte – AFP

Burkina Faso – Está liderando o grupo D no momento e uma vitória contra a praticamente eliminada África do Sul deixa a vaga ao mundial bem encaminhada. Encerra sua participação nas eliminatórias em casa, contra Cabo Verde.

Burkina Faso quer fazer história. Fonte – AFP

Cabo Verde – Com a mesma campanha no grupo (seis pontos), uma vitória contra Senegal na quinta rodada aumenta muito suas chances de ir à Rússia no ano que vem, pois na última rodada enfrenta seu principal concorrente, Burkina Faso.

Seleção de Cabo Verde
Fonte – AFP

Uganda – Na segunda posição do grupo E, com sete pontos, é a seleção que mais tem chance de tirar a vaga do Egito, que hoje é líder, com nove. Ainda enfrentam Gana em casa e o Congo fora.

Uganda quer surpreender. Fonte – AFP

 

Concacaf

Panamá – Com dez pontos e na terceira posição, os panamenhos enfrentam os EUA no próximo jogo para encaminhar seu lugar na copa. Encerra sua participação contra a Costa Rica, que está com a “mão” na vaga.

Panamá está perto da copa. Fonte – AFP

 

Europa

Montenegro – Está com 16 pontos e é vice-líder do grupo E. Tem uma decisão contra a Dinamarca dia 5/10 para ver quem vai para a última rodada com mais chances.

Montenegro tenta vaga inédita. Fonte – AFP

Albânia – Mesmo quase eliminada, ainda mantém a esperança de conseguir uma vaga na repescagem. Está com 13 pontos, e ocupa a terceira posição do grupo G. O maior obstáculo é tentar tirar uma diferença de saldo de 11 gols para tirar a vaga da Itália, com quem joga em casa na última rodada. Enfrenta também a Espanha fora.

Albânia tenta um milagre. Fonte – AFP

Chipre – Com dez pontos, na quarta posição do grupo G, os cipriotas precisam de duas vitórias e uma combinação de resultados para poderem sonhar com a vaga na repescagem.

Cipriotas buscam vaga no mundial. Fonte – AFP

Estônia – No mesmo grupo G, só que sua situação é bem mais difícil que a do Chipre, precisam também de duas vitórias e uma combinação complicada de resultados, já que estão com apenas oito pontos um saldo bem inferior ao concorrentes diretos Bósnia e Grécia.

Estônia mantém sonho, mas a situação não é tão fácil. Fonte – AFP

Islândia – Uma das sensações da última Eurocopa, está empatada com a Croácia na liderança do grupo I, com 16 pontos, e pode ao menos conseguir a vaga na repescagem para continuar com a esperança de ir ao mundial.

Islândia está muito perto da vaga. Fonte – AFP

E as seleções que estão na briga para voltar ao mundial:

América do Sul

Peru – Longe do mundial desde 1982, a seleção de Cueva e Paolo Guerrero volta a fazer uma boa campanha nas eliminatórias e com 24 pontos, na quarta posição, precisa de dois bons resultados para se confirmar ou até mesmo conseguir a vaga na repescagem contra a Nova Zelândia.

Guerrero é uma das armas da seleção peruana para voltar à copa. Fonte – globoesporte.com

África

Tunísia – Tenta voltar à copa depois de 11 anos (última participação foi em 2006) e uma vitória na próxima rodada, dia 1/10, contra Guiné já garante os tunisianos em 2018.

Tunisía está bem próxima de voltar ao mundial. Fonte – AFP

RD Congo  Sua única participação na copa foi ainda quando tinha seu antigo nome, Zaire, em 1974. No momento estão na segunda colocação do grupo A com sete pontos e torcem por tropeços do principal concorrente, a Tunisía.

Seleção da RD Congo. Fonte – CAF

Europa

Bulgária – Tentam voltar à disputar a copa do mundo pois estão desde 1998 sem participar. Estão com 12 pontos no grupo A e precisam de vitórias e contar com tropeços de Holanda e Suécia, principais concorrentes.

Bulgáros não participam desde 1998. Fonte – AFP

Irlanda do Norte – Longe do mundial desde 1986, estão ao menos com a vaga na repescagem assegurada, com 19 pontos, na segunda posição do grupo C, pois será muito difícil tirar a vaga direta da Alemanha, líder do grupo com 24.

Seleção da Irlanda do Norte. Fonte – Fonte – AFP

País de Gales – A seleção do craque Gareth Bale tenta repetir o feito de participar da copa pela segunda vez, pois a única vez foi em 1958. Ainda tem chances inclusive de garantir a vaga direta, pois o grupo D está em aberto e os galeses no momento estão na vice liderança com 14 pontos, quatro a menos que a Sérvia.

G. Bale é a esperança dos galeses. Fonte – BBC

Irlanda – Lutam para participar da copa novamente, pois a última vez foi em 2002. Estão na mesmo grupo D, e a disputa será acirrada.

Irlandeses na luta por uma vaga. Fonte – globoesporte.com

Áustria – Desde 1998 sem marcar presença no mundial, os austríacos tem uma missão mais difícil no embolado grupo D, pois só conseguiram nove pontos até o momento e vão precisar de bons resultados somados à combinações de resultados.

Áustria mantém esperança de voltar à copa. Fonte – APF

Polônia – Líder do grupo E com 19 pontos, a seleção do atacante Lewandowski caminha à passos largos rumo a classificação direta para a copa, competição que não participam desde 2006.

Lewandowski é a principal arma da Polônia. Fonte – AFP

Escócia – Em sua última copa no ano de 1998 fez parte do mesmo grupo Brasil. Atualmente está na briga por uma vaga na repescagem. Tem 14 pontos no grupo F.

Escoceses não participam desde 1998. Fonte – AFP

Ucrânia – Sem aparecer em mundiais desde 2006, os ucranianos seguem firmes na luta por uma vaga direta ou ao menos para a repescagem. Estão com 14 pontos no grupo I.

Ucrânia está firme na briga por uma vaga. Fonte – AFP

Turquia – Quase com a mesma campanha da Ucrânia os turcos querem voltar a disputar a copa, o que não acontece desde 2002.

Turcos não disputam a copa desde 2002. Fonte – AFP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *