Radar da Bola

Maldito Fair Play

 

Maldito Fair Play

O Fair Play deu as caras novamente na vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o Vasco em partida válida pela 24° rodada do campeonato brasileiro, Jô atacante corintiano marcou o gol da partida com o braço. Martin Silva, goleiro vascaíno, ainda deu (na minha opinião) uma das piores declarações da história do futebol ao afirmar que Rodrigo Caio ajudou o Corinthians quando evitou que Jô tomasse o cartão amarelo que o deixaria de fora do segundo jogo das semi-finais do Paulista e que agora briga contra o rebaixamento. Essa declaração é absurda por se tratarem de competições diferentes.
A declaração do goleiro uruguaio apesar de desastrosa, pode ser relevada, cabeça-quente pode explica-la.
A discussão sobre o Fair Play de Rodrigo Caio tomou toda essa proporção devido ao momento político do país e o futebol é um espelho do Brasil.
Rodrigo Caio se transformou em um Sergio Moro do futebol.
O país tem um jogador honesto- Rodrigo Caio para presidente.
O Brasil deve ser o único (ou dos poucos) país onde alguém é premiado por ser honesto,sendo que agir com honestidade não pode ser encarado nem como virtude,mas como inerente ao ser humano.
O Fair Play torna-se maldito na medida que é algo impraticável no futebol.
Como algo que deveria ser inerente ao homem pode ser impraticável no futebol?
A natureza humana é contraditória e o futebol trás consigo a natureza humana, por essa razão que é tão difundido no Brasil.
Sendo a contradição o cerne da natureza humana, essa natureza encontrou no brasileiro o hospedeiro perfeito.
Quem pode condenar Rodrigo Caio?
Quem pode condenar Jô?
A contradição está lançada, o gol de Jô seria contestado de qualquer maneira, mas se cobra algo injusto do atacante que ele não aceite o gol.
Culpa do maldito fair play de Rodrigo Caio que torno-se maldito graças ao país onde vivemos que honestidade é algo fora do comum.
A CBF resolveu adotar o arbitro de vídeo após o lance de Jô.
Espero que seja o fim desse maldito fair play.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *