Radar da Bola

Argentina tropeça na Venezuela e segue em situação complicada

Estádio lotado e a expectativa de ver a seleção ganhar fôlego e encaminhar de vez uma vaga na Copa do Mundo de 2018. Esse era o pensamento do torcedor que compareceu ao Monumental de Nuñez. em Buenos Aires, na noite desta terça, para acompanhar o duelo da Argentina diante da Venezuela, lanterna das Eliminatórias, mas não foi bem assim que aconteceu.

A partida começou com a Argentina sufocando os visitantes. Com trocas de passes rápidas e envolventes, os donos da casa chegavam com facilidade à área da Venezuela e sempre levando perigo. Nos primeiros 20 minutos de jogo, foram pelo menos seis chances criadas pelos comandados de Jorge Sampaoli, mas sem sucesso.

O goleiro Fariñez, e a forte marcação aplicada pela equipe venezuelana, foram os destaques da Vinotinto na etapa inicial. Marcação tão pesada, que rendeu quatro cartões amarelos só na primeira metade do jogo (Chancellor, Villanueva, Figuera e Herrera). Banega foi o único argentino amarelado no primeiro tempo.

O maior prejuízo da Albiceleste ficou por conta da Lesão de Di Maria, que com uma lesão muscular deixou o gramado aos 24 minutos, para a entrada de Acuña. Depois da substituição, as chances criadas pela Argentina diminuíram, mas ainda aconteciam.

O segundo tempo começou, e a Venezuela estava decidida a deixar o jogo com ares dramáticos para nossos “Hermanos”. Aos cinco minutos, em contra-ataque fulminante, Córdova fez o passe em diagonal para Murillo, que recebeu livre e finalizou na saída de Romero para abrir o placar e silenciar o Monumental de Nuñez.

A desvantagem no placar, porém, acabou quatro minutos depois. Acuña fez jogada individual e cruzou para trás, para Icardi, o lateral esquerdo Feltscher, na tentativa de cortar, acabou mandando para o fundo do gol, empatando a partida.

Com o 1 a 1, o jogo ficou totalmente aberto, com a Argentina partindo para o ataque e a Venezuela conseguindo levar perigo nos contra-ataques e nas faltas próximas a área do goleiro Sérgio Romero. Os donos da casa tinham a posse de bola e a iniciativa no ataque, mas quase já não conseguiam criar perigo como no primeiro tempo. Cada subida em velocidade dos venezuelanos era um desespero para o torcedor argentino, mas o placar se manteve até o final.

O empate mantém a seleção de Messi e Di Maria na quinta posição, com 24 pontos, e até o momento classificada para repescagem diante da Nova Zelândia. No mês que vem, enfrentam Peru (4º com 24 pontos) e Equador (8º com 20 pontos) no encerramento das Eliminatórias.

 

Foto: Reuters

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *