Radar da Bola

Chapecoense conquista sexto título do Catarinense

Após cinco meses da tragédia em que perdeu todo o time, a Chapecoense se remontou e conquistou pela sexta vez o Campeonato Catarinense, mesmo com a derrota por 1 a 0 para o Avaí, neste domingo ás 16:00, na Arena Condá. É o primeiro bi campeonato da história do clube. Foto:Marco Favero

O técnico Vagner Mancini mandou a campo: Arthur Moraes, João Pedro, Douglas Grolli, Luiz Otávio e Reinaldo; Nathan (Apodi), Moisés Ribeiro e Luiz Antônio (Osman); Rossi, Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Arthur. Já o comandante Claudinei Oliveira: Maurício Kozlinksi; Leandro Silva, Alemão, Betão e João Paulo; Luan(Caio Cesar), Judson e Marquinhos(Lourenço); Romulo, Júnior Dutra e Denilson (Diego Jardel).

No primeiro tempo: Quem entrou com uma formação mais defensiva, teve mais a bola e pouco criou. Quem entrou precisando pressionar, foi sufocado, mas teve as melhores chances e abriu o placar. O primeiro tempo na Arena Condá não contou muito com a lógica. Uma coisa, porém, foi fato: o Avaí soube lidar melhor com as condições apresentadas. Seguro na defesa, o time de Floripa conseguiu evitar que a Chapecoense colocasse Kozlinski para trabalhar, apesar de cercar a área e cruzar bolas de um lado para o outro. Já no ataque, foi fatal. Leandro Silva contou com falha de Artur Moraes para abrir o placar em chute cruzado e diminuir a vantagem verde, que só não foi por água abaixo ainda antes do intervalo porque Marquinhos abusou do preciosismo na frente do goleiro já nos acréscimos. O toquinho por cobertura tirou tinta da trave e deu ainda mais emoção a uma final completamente aberta.

Na segunda etapa: O panorama mudou pouco na volta do intervalo. A diferença é que o Avaí, sem outra opção, se expunha mais. As jogadas pelo lado direito de ataque quase sempre surtiam efeito com Leandro Silva, e a defesa da Chape parecia perdida no posicionamento. Tanto que Rômulo recebeu livre no segundo pau para emendar de primeira e obrigar Artur a fazer grande defesa. O duelo se repetiria minutos depois, e novamente com o goleiro verde levando a melhor. A Chape, por sua vez, mal conseguia respirar.

Um jogo marcado também pelas confusões, discussões, gritos e desentendimentos, por tudo isso, ocorreu um alto índice de cartões. Foram sete ao total. Do lado verde e branco: Arthur Moraes, Douglas Grolli, Túlio de Mello e Moisés Ribeiro. Da parte Azul e Branca: Luan, Caio Cesar e Marquinhos.

Um público de 19.141 presentes presenciaram o bi campeonato da equipe que se reinventou no Brasil. Foto: Tarla Wolski)

Chapecoense embarca ainda neste domingo em busca de um novo título. A delegação segue em voo fretado para São Paulo, de onde viaja na manhã de segunda-feira para Medellín. Quarta, às 21h45 (de Brasília), o compromisso é com o Atlético Nacional, pela decisão da Recopa Sul-Americana.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *