Radar da Bola

Última vez de Ajax em semifinal de torneio da Uefa, não existia Kosovo

Há duas décadas, o Ajax chegava pela última vez entre os quatro melhores de uma competição organizada pela Uefa. O tabu foi quebrado nesta quinta-feira (20) após o jogo contra o Schalke 04, na Alemanha. Mesmo perdendo por 3 a 2, na prorrogação, os gols marcados fora de casa foram o desempate. Goretzka, Burgstaller e Caligiuri (prorrogação) estavam trazendo à vaga para os azuis reais, entretanto, as nuances do futebol são divinas e em um lance sem grande perigo, bola sobrou para Viergever fazer o gol que dava classificação. Mas ainda tinha mais, e Younes fez o outro para fechar o caixão em Gelsenkirchen. Quando passou pela Juventus, no longínquo 1997, pela Uefa Champions League, Kosovo ainda nem era cogitado.

A Iugolásvia que surgiu após a 1ª Guerra Mundial, como o Reino dos Sérvios, a partir dos 90 se partiu ao meio, por detrimento de guerras civis fazendo que nascesse países como Croácia, Bósnia-Herzegovina, Eslovênia e Macedônia, que faziam parte desse clã, inicialmente.

De lá para cá, a Iugoslávia continuou existindo como República, até o novo século. Porém, em 2003, foi decidido que Sérvia e Montenegro seria o novo nome da nação. Ali, morria o nome Iugoslávia, para todos, como país. Três anos depois, precisamente no dia 21 de maio de 2006, foi realizado um referendo para saber se o povo de Montenegro queria independência da Sérvia. Com 55% dos votos sendo positivo foi declarado que a partir de 3 de junho, daquele mesmo ano, mais um país era fundado. Kosovo nasceu em junho de 2008, quando 104 parlamentares unilateralmente declararam aos montenegrinos sua independência.

Enquanto isso acontecia, o Ajax acumulava seguidas decepções europeias. No momento que Kosovo se tornava território independente, os holandeses completava sua 15ª participação em torneio europeu, com apenas duas quartas de final. Outras eliminações vieram em fase prévia, de grupos, 3ª fase ou oitavas.

O time que até então não sabia da tal façanha, que viraria tabu posteriormente, chegou na semifinal da Champions League 1996/97, após eliminar o Atlético de Madrid. O elenco contava com os irmãos de Boer, Van Der Sar no gol, os meias Babangida e Litmanen, além do ponta Overmars, e Louis Van Gaal, como treinador. A Juventus tinha nada menos que Zinedine Zidane, em começo de carreira, Vieri, Ciro Ferrara e Didier Deschamps. A equipe holandesa é tetracampeão da Champions League (71/72/73/95) e tem uma Uefa Europa League (1991).

No resultado agregado deu 6 a 2 para os italianos. Primeiro ganharam por 2 a 1 na Holanda, e aplicou 4 a 1 no jogo de volta. Neste mesmo período de insucesso europeu, o Ajax ganhou sete holandeses. Mas viu o PSV crescer e rivalizar na briga pelas taças. Ainda teve três temporadas que título não ficou com nenhum dos dois. Uma para o Az Alkmaar, outra para o Twente e uma no fim do século passado, para o seu maior rival: Feyernoord (1999).

Essa nova safra de jogadores do Ajax que conta com Klaassen, David Neres, Justin Kluivert (sim, filho do Patrick), Bertrand Traore e Veltman, faz campanha de recuperação no Campeonato Holandês, que já indicava está na mão do Feyernoord. Caso chegue em primeiro vai manter o tabu do time de Rotterdam e consequentemente retomando a taça para si, após o bicampeonato do PSV ter interrompido chance de pentacampeonato inédito.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *