Radar da Bola

5 motivos para acreditar na virada do Palmeiras sobre a Ponte Preta

O atual campeão brasileiro não suportou a inspiração com que o elenco da Ponte Preta jogou neste domingo e amargou uma derrota por 3 a 0 no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas – SP, no primeiro jogo válido pelas semifinais do Campeonato Paulista.

O Palmeiras terá um difícil duelo de volta no próximo sábado, em confronto que acontecerá no Allianz Parque, às 19h. O verdão precisará vencer por quatro gols de diferença para se classificar. Se marcar três, a decisão da vaga vai para os pênaltis, pois o critério de gol marcado fora de casa não é levado em consideração no Paulistão.

Mas, apesar da aparente vantagem que a Ponte Preta leva, não dá para considerar a classificação do time campineiro como favas contadas. Afinal, o Palmeiras tem em seu estádio um aliado histórico, onde consegue em uma a cada seis partidas derrotar os rivais por pelo menos três gols de diferença, exatamente a vantagem necessária para avançar no Campeonato Paulista.

O Palmeiras já disputou 74 partidas no Allianz Parque desde a sua inauguração em novembro de 2014, com um aproveitamento de 72% dos pontos conquistados em 49 vitórias e 13 empates. Em 2017, a equipe palmeirense ainda não vivenciou nenhuma derrota em casa, e além disso, o time ostenta a marca de vinte partidas seguidas marcando gol em seu estádio.

Outro motivo para acreditar na virada é a conquista do título de campeão paulista em 2008, onde derrotou a mesma Ponte Preta nos jogos de ida e volta. No primeiro jogo, o Palmeiras venceu por 1 a 0 o time campineiro no Moisés Lucarelli, e no jogo seguinte, goleou a macaca por 5 a 0 no Palestra Itália. Além disso, a Ponte não tem tradição no campeonato, enquanto o Palmeiras é o segundo maior campeão paulista, empatado com o Santos com 22 títulos (apenas atrás do Corinthians com 27 vitórias).

Um ponto curioso entre os dois times, é que ambos técnicos atuais das equipes já comandaram o elenco rival: o atual treinador palmeirense Eduardo Baptista comandou a macaca no ano passado, enquanto o técnico da Ponte Preta Gilson Kleina treinou a equipe palmeirense entre os anos de 2012 e 2014. Apesar do tempo maior que o Kleina comandou o Palmeiras, o Eduardo leva vantagem devido ao período mais recente à frente da Ponte. Ou seja, ele tem mais conhecimento atual sobre o elenco rival do que técnico adversário, além de toda força técnica que a equipe palmeirense apresenta.

E o maior motivo de todos para acreditar num resultado positivo para o verdão é a paixão da torcida do Palmeiras. Logo após o final do jogo no domingo, os torcedores criaram uma campanha nas redes sociais para incentivar a virada. Com a hashtag #AteOApitoFinalPalmeiras, a torcida tem agitado a Internet, com a adesão inclusive do goleiro Fernando Prass. Além disso, já foram vendidos 26 mil ingressos para o jogo, ou seja, a casa estará cheia para acompanhar o jogo de volta, onde a torcida espera ver o time repetir o placar de pelo menos três gols marcados em partidas disputadas apenas esse ano.

Como diz o ditado, o jogo só termina quando acaba, e até o apito final, muita bola ainda vai rolar.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *