Radar da Bola

Vasco e Macaé tem estreia de Fabuloso em empate sofrido no Nilton Santos

A partida entre os cariocas Vasco e Macaé testou o coração da torcida. O jogo de estreia da Taça Rio marcou uma outra estreia, a chegada de Luis Fabiano, o Fabuloso. A torcida estava ansiosa para ver o atacante em campo, o Vasco estava ansioso por uma vitória, e o técnico Cristovão Borges parecia mais ansioso que todo mundo. Ameaçado, o treinador precisava de um resultado convincente.

No primeiro tempo os vascaínos ficaram a maior parte do tempo com a bola, e já começaram atacando. Aos dez minutos o Vasco já tinha finalizado quatro vezes, contra zero do adversário, até que aos 13 minutos em uma jogada pela direita, Nenê recebe na pequena área, chuta cruzado, e abre o placar. Vasco 1, Macaé 0.

No ataque, o Vasco segue pressionando, e com a posse de bola, o time ataca. Com boas jogadas pela direita, o clube consegue armar uma linda jogada, e aos 20 minutos Luis Fabiano recebe na cara do gol, e chuta, mas a bola é defendida pelo goleiro, que na queda, acaba se machucando. O jogador é rapidamente atendido, mas não é nada grave, e o jogo recomeça.

Aos 25 minutos o Leão Praiano invade a pequena área do Vasco, pressiona os vascaínos, e em uma sucessão de cruzamentos, Hudson surpreende Jomar, que não vê a bola passar, e de cabeça manda a bola para dentro do gol, empatando a partida. A jogada deu um nó na zaga do Vasco, foi difícil até para contar quantos Cruzamentos o time do Macaé fez para chegar ao gol.

O primeiro tempo segue esquentando. Vasco vai para o ataque, mas a bola não entra, o time ainda tem ótimas oportunidades, mas é o Leão Praiano que leva a melhor em um contra-ataque fulminante aos 44 minutos. Masquinhos recebe a bola no meio de campo, dispara, e na hora certa manda a bola no pé de Rafinha, que não erra, e marca para o  Macaé, 2 a 1. Um banho de água fria na festa vascaína.

O segundo tempo começa com o Vasco indo em busca do resultado. Pressionado, time e técnico precisam do bom resultado. Em busca de mais movimentação, sai Gilberto, e entra Pikachu, que aumenta a correria na lateral. O resultado da mudança demora, mas o time responde bem, e aos 19 minutos, Guilherme faz um cruzamento da laterial para Luis Fabiano, que desvia de cabeça, o goleiro do Macaé defende mas não segura a bola, e no rebote, Rodrigo manda a bomba. Vasco 2, Macaé 2.

A correria do lado do Vasco continua, o jogo que parecia fácil se mostra uma pedreira. O Macaé não entrega, e segue acreditando também. Aos 36 minutos, o Vasco vê uma nova oportunidade surgir, e após uma falta na entrada da pequena área, Nenê manda uma bomba na trave. A bola volta para o jogo, mas o time do Macaé isola, e se livra da pressão.

Melhor em campo, Nenê derruba Marquinhos e leva um cartão amarelo, e não demora muito para que Yago Pikachu leve um amarelo também. Com a temperatura alta em campo, os vascaínos não conseguem chegar ao gol da vítória, e vem os três pontos escorrerem entre os dedos.  A torcida não perdoa, e vaia o técnico na saída para o vestiário. Na classificação, Macaé fica em quarto na tabela com 1 ponto no grupo B, e o Vasco em primeiro, com 1 ponto no grupo C.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *