Radar da Bola

TOP 5: Eternas Promessas do Futebol Grego

O Futebol Grego tem em sua história um bom aproveitamento nas seleções de base, e com isso, a federação obrigou todos os clubes a terem times desde a categoria sub15, e graças ao investimento vários nomes vem surgindo ao longo dos anos como por exemplo Kostas Mitroglou, Kostas Fortounis, Kostas Manolas, e outros. Porém sempre que um número elevado de talentos aparece, alguns com menos espaço acabam se perdendo no mundo e só são tidos como eternas promessas, e aqui falaremos das cinco principais promessas que não deram certo

1 – Sotiris Ninis

Ninis é o principal exemplo de uma eterna promessa, o meia albanês chegou na Grécia ainda criança, e logo se aventurou no futebol, o Panathinaikos abriu suas portas para um dos mais talentosos jogadores da faixa etária, sua evolução na base foi impressionante e não demorou muito para Ninis frequentar o time principal, suas atuações chamavam a atenção e no ano de 2010 ele foi procurado por Manchester United e Barcelona, o Panathinaikos por sua vez recusou as propostas alegando que o atleta valia muito mais, o que pode se questionar já que seria a venda mais cara da história do clube, e aconteceu o pior, Ninis sofreu algumas lesões pós Eurocopa 2012 e acabou perdendo espaço no clube, desvalorizado ele tentou a sorte no Parma mas não teve sucesso pois segundo ele mesmo os treinos eram rígidos demais, foi então que ele voltou para seu país, o PAOK apostou em Ninis, que em pouco tempo voltou a se mostrar displicente e teve o contrato rescindido, voltando assim para o Panathinaikos, que embora tenha no meia uma falsa esperança de aflorar um talento perdido não fez questão de segurá-lo, hoje Ninis tenta a sorte na Bélgica atuando pelo Mechelen.

2 – Apostolos Vellios

Quando Vellios surgiu na base da Grécia muitos viam ele como um novo Charisteas, o faro de gol e bom posicionamento na área o credenciaram para ser um dos mais fortes nomes do setor, Vellios logo chegou no time principal do Iraklis, ficando em Thessaloniki de 2008 até 2011 quando foi negociado com o Everton, e sem render no clube foi posteriormente emprestado ao Blackpool onde novamente não deu certo, saindo da Inglaterra ele foi negociado com o Lierse e mais uma vez teve uma temporada fraca, emprestado para o Vestsjælland ele começou a jogar frequentemente porém uma lesão atrapalhou seu recomeço. Em 2015, o Iraklis acolheu seu eterno filho, e Vellios surpreendeu a todos fazendo uma temporada impecável e com atuações memoráveis, porém o clube precisava de dinheiro e em 2016 aceitou uma proposta do Nottingham Forest, e agora o atacante está tentando um recomeço na Inglaterra para provar seu valor.

3 – Charalampos “Charis” Mavrias

Mavrias tem uma história semelhante a de Ninis, um atleta primoroso na base e que não deu certo no futebol profissional. Em 2010, Mavrias ganhou uma chance no time principal do Panathinaikos e aos poucos foi assegurando seu espaço com partidas perfeitas e dando uma rejuvenescida no time, foram mais de 3 anos no clube até ser negociado com o Sunderland, e Mavrias foi mais um a não dar certo fora da Grécia, com apenas 3 partidas nos Black Cats ele voltou para sua casa buscando recuperar o tempo perdido, infelizmente Mavrias não era mais o mesmo e saiu do Panathinaikos com apenas 9 partidas, em 2016, o Sunderland emprestou o meia para o Fortuna Dusseldorf, e na Alemanha ele deu indícios de recuperação, e apostando na evolução do atleta, o Karlsruher o contratou, e agora Mavrias alterna entre os titulares e reservas em busca da consistência em sua carreira.

4 – Giorgos Niklitsiotis

Niklitsiotis desta lista é o mais desconhecido, das academias do Olympiakos surgiu um meia atacante promissor que ganhou sua primeira oportunidade em 2008 substituindo Luciano Galletti e sendo um dos mais jovens a disputar a Super League, entre 2008 e 2012 ele teve apenas duas vezes para mostrar sua qualidade e desperdiçou a mesma, sem ter minutos ele foi sendo emprestado para clubes menores como OFI Creta, Thrasyvoulos e Helmond Sports, destes apenas o time de Fyli confiou totalmente no atleta, e deu a ele todas as condições de ser o jogador do clube, porém lesões atrapalharam sua evolução. Em 2012, o Olympiakos se cansou de esperar Niklitsiotis e vendeu o meia para o PAS Giannina que foi mais um lesado pela eterna promessa, desde então ele vem sendo um andarilho da bola passando por Niki Volos, PAS Lamia e Panargiakos. E com os Lobos de Argos ele está encaminhando o rebaixamento para as divisões regionais.

5 – Ioannis Fetfatzidis

Fetfa começou na base do Vouliagmeni, e não demorou muito para se mudar para o Olympiakos, na base dos Thrylos ele chamou a atenção do time principal e em 2009 ganhou seus primeiros minutos como profissional. Zico que por um tempo trabalhou no Olympiakos já falou abertamente que Fetfa foi um dos mais talentosos meias que ele já comandou, e com dribles, gols e assistências Fetfa chamou a atenção do mundo e com o sonho de jogar um campeonato mais forte ele foi negociado com o Genoa, e foi mais um a mudar de clube e cair de rendimento com várias lesões, sem espaço no clube ele fora emprestado ao Chievo Verona para recuperar o ritmo e força, porém com apenas quatro partidas ele retornou para o Rossoblu. Querendo lucrar com o atleta, em 2015 ele foi vendido para o Al Ahli da Arábia Saudita onde atua até hoje sempre variando entre titulares e reservas, e com atuações fracas quando em campo o clube já afirmou não renovará seu contrato em 2018, abrindo assim as portas para Fetfa retornar para a Grécia, atestando assim seu fracasso.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *